TIAGO CASANOVA

Quem matou Joaquim de Melo?

Tiago Casanova

 

"Quem matou Joaquim de Melo?" apresenta-se em forma de thriller metafórico, uma narrativa imagética entre o documento e a ficção que retrata a provável morte da arquitectura de autor em Portugal. O projecto final será apresentado em formato livro, onde a narrativa visual conta uma história de intriga, violência e assassinato, e onde a arquitectura é simbolicamente personificada através de Joaquim de Melo, o lado anónimo (ou possível alter ego) de um histórico arquitecto português: Álvaro Joaquim de Melo Siza Vieira.


 

Este é um projecto em curso desde 2013, não existindo uma estrutura rígida ou plano concreto de acção. Vários momentos do projecto vão se materializando através de exposições, instalações site-specific e performances, onde Quem matou Joaquim de Melo? se apresenta como um projecto-mãe para outros projectos mais pequenos e específicos.


 

A história em si parte de factos reais, como por exemplo a decadência e o abandono de algumas conhecidas e premiadas obras de arquitectura em Portugal, como aconteceu com a Casa de Chá da Boa Nova (1963), ou o Pavilhão de Portugal (1998), entre outros exemplos, mas que evolui para uma história ficcionada em torno da personificada morte de Joaquim de Melo, acção narrativa que inclui, naturalmente, a existência de suspeitos e de outras personagens, nomeadamente o Gang do Cobre. O Gang do Cobre é um género de bode expiatório do sistema e o suspeito #1 deste crime, tendo voz própria neste projecto em forma de heterónimo, agindo com postura crítica e anti-sistema.

 

Built with Berta.me